Blog sobre a Canábis | Experiência natural
Inicio » Activismo canábico » A História de Lawrence Ringo, um dos pais do CBD


19.04.21

A História de Lawrence Ringo, um dos pais do CBD

No artigo de hoje vamos falar sobre Lawrence Ringo, uma das figuras mais importantes da história do canabidiol (CBD). Através de uma série de pontos, discutiremos alguns marcos importantes na vida deste visionário das plantas de canábis.

Quem é Lawrence Ringo?

Lawrence Ringo (1956-2014) é conhecido pelo seu trabalho na obtenção, estabilização e hibridação de estirpes de sementes de marijuana ricas em CDB. Nasceu em 1956 em Orange County (EUA) numa família de classe média e desfrutou de uma infância feliz rodeado pelos seus familiares.

Para compreender melhor a sua vida, aqui estão alguns dos detalhes biográficos mais interessantes de Lawrence. Além disso, abaixo, poderás aprender mais sobre a sua vida como investigador, botânico e visionário das sementes de canábis com CBD alto. Sem dúvida, uma das razões pelas quais Lawrence é recordado.

Lawrence Ringo, pai do CBD

Só há uma coisa a qual Lawrence Ringo amava tanto como a botânica, e que era a música. Lawrence foi encorajado pela sua avó a começar a estudar música aos 7 anos de idade e é conhecido pelo seu trabalho como compositor. A guitarra era o seu instrumento favorito e até era conhecido localmente por “Guitar Monster” entre os seus amigos e conhecidos.

O interesse de Lawrence Ringo pela botânica começou quando ele tinha apenas 15 anos de idade. Durante os anos 70, Lawrence começou a estudar e a cultivar plantas de canábis na sua terra natal, a Califórnia. Este entusiasmo transformou-se em paixão quando ele começou a estabilizar e a hibridizar sementes. O jovem Ringo também começou a recolher pólen a fim de produzir novas sementes e começar a acumular um primeiro stock de sementes.

Uma das técnicas de cultivo atribuídas a Lawrence Ringo é a privação de luz. Descobriu-a acidentalmente durante as suas experiências com variedades ao ar livre. Cobriu inadvertidamente parte da estufa que tinha para cultivar plantas, apercebendo-se de que poderia interferir com os fotoperíodos naturais.

A privação de luz é precisamente isto: utilizar estufas com coberturas que possam bloquear a luz solar, para que o cultivador possa induzir uma fase de floração (redução das horas de luz do dia) ao ar livre. Esta foi uma medida revolucionária que mudou os procedimentos de cultivo de muitos cultivadores.

Durante a década de 1980, Lawrence Ringo continuou a trabalhar na privação da luz. Ao fazê-lo, utilizou-o para sexagem precoce de plantas. Esta foi mais uma inovação que mudou as regras do jogo e que permitiu aos cultivadores trabalharem com mais previsão nas suas plantas. Da mesma forma, Lawrence utilizou esta técnica de sexagem precoce para ser capaz de detectar plantas masculinas que pode utilizar em para fabricar produtos derivados desta planta.

Durante esta mesma década, Lawrence Ringo adquiriu 1,5 quilómetros quadrados de terra para poder exercer a sua actividade de forma extensiva e intensiva. O trabalho de Lawrence com a planta melhorou com a aquisição desta terra e ele foi, finalmente, capaz de dar sentido à reserva de sementes que tinha trabalhado tanto para obter e selecionar.

A esta reserva de sementes juntaram-se estirpes de locais exóticos como México, Afeganistão e Tailândia, regiões populares pela produção de estirpes lendárias de sementes agrupadas sob o nome de sementes heirloom ou estirpes de sementes de herança. O trabalho de Lawrence Ringo também envolveu a melhoria de características vegetais tão interessantes como a presença de canabinóides activos como o THC.

Nos anos 90, Lawrence encontrou um emprego na Seagate Technologies, o que lhe permitiu criar os seus 3 filhos, em colaboração com a sua esposa. Também lhe permitiu continuar o seu trabalho como botânico, ao ponto de construir uma grande instalação de investigação e desenvolvimento, a partir da qual poderia continuar a sua investigação sobre a planta da canábis.

Lawrence Ringo continuou a recolher várias estirpes de todo o mundo, resultando num total de 20 novas estirpes durante o início dos anos 2000. Só em 2009 é que Lawrence Ringo começou a dar forma ao projecto Kush Seeds, que mais tarde daria origem ao SoHum Seeds (South Humboldt Seeds), o banco de sementes que popularizou a figura deste visionário da planta da canábis.

Em 2010 Lawrence realizou uma investigação sobre o canabidiol, detectando que uma das suas estirpes era rica neste canabinóide com possíveis propriedades físicas. Isto aconteceu com a “Sour Tsunami”, uma das primeiras estirpes desenvolvidas nos Estados Unidos com alto conteúdo de CDB.

Lawrence Ringo faleceu em Abril de 2014 devido a cancro do pulmão. Ringo era fumador de tabaco e este vício acabou por conduzir a uma dura doença que acabou com a sua vida. O legado de Ringo continua na importante investigação que ele e a sua equipa realizaram sobre sementes de canábis, especialmente naquelas ricas em CDB.

Profundizar sobre o legado de Lawrence Ringo

Historicamente falando, foram os cultivadores de canábis do Norte da Califórnia os primeiros a concentrarem-se na hibridação das propriedades psicoactivas da planta. Lawrence Ringo, que como mencionado, cultivava canábis desde os 15 anos de idade, voltou a hibridar o tetrahidrocanabinol (THC) em algumas das suas plantas, enquanto aumentava o composto CDB a outro nível.

Como muitos fabricantes que mergulham no mundo de possibilidades da canábis, a sua intenção era pessoal. Tinha sofrido de fortes dores lombares desde a infância. Com a falta de um disco entre a terceira e quarta vértebras, a sua dor óssea exigia algo mais do que os produtos farmacêuticos poderiam oferecer.

A sua viúva, Kat Hart, diz que também desenvolveu cultivos de plantas de canábis para melhorar a sua forma de tocar guitarra, demonstrando a versatilidade da planta em passar do uso recreativa ao medicinal num único toque de corda, por assim dizer. Como mencionado, Ringo era um grande entusiasta deste instrumento.

Como fica demonstrado na sua biografia, Ringo demorou muitos anos a desenvolver os cultivos que o ajudariam com a sua dor nas costas, permitindo-lhe ao mesmo tempo manter a sua vida normal 24 horas por dia. Para tal, guardou as sementes das plantas que ofereciam mais ajuda e acabou por cruzá-las para obter as estirpes que hoje conhecemos.

Por exemplo, plantas cultivadas a partir das sementes New York City Diesel, compradas ao canadiano Marc Emery, foram cruzadas com um dos primeiros exemplares da Sour Tsunami para produzir a Sour Diesel que conhecemos hoje. Sour Tsunami é a estirpe mais popular e inovadora obtida por Lawrence Ringo.

Assim, todo o panorama internacional da planta da canábis ficou contente no dia em que Samantha Miller, um dos fundadores e expoentes máximos da Pure Analytics, um laboratório da Califórnia, informou a equipa da SoHum Seeds que a sua Sour Tsunami tinha produzido mais de 11,3% de CDB, mantendo entre 6 e 7% de THC.

Foi uma das primeiras vezes que a reputada Dra. Miller se deparou com colheitas com CDB alto e os resultados não passaram despercebidos. A maior notícia foi que Miller informou Ringo de que havia outras oito estirpes que também tinham potencial para serem altas em CDB.

Na altura, sabíamos muito pouco sobre o CDB, mas Samantha transmitiu a sua importância vital dentro do mundo das sementes, tendo propriedades anteriormente quase desconhecidas. Este foi verdadeiramente o momento que definiu a So Hum Seeds como a conhecemos hoje.

A Sour Tsunami foi o primeiro marco na história das estirpes de sementes ricas em CDB e seguiram-se Harle-Tsu, Canna-Tsu e Swiss-Tsu.

As genética actualmente disponíveis no seu catálogo incluem AC/DC, Canna Tsu, Cheesel O, Harle Tsu, Hula Budda, Kona, Pineapple Tsunami, Purple Diesel, Sour Tsunami, Swiss Tsu, e OG Cheese Dog.

A Harle Tsu de Ringo é um excelente exemplo, dado que apresenta um rácio de 20:1 de CBD, o que se traduz em mais de 22% de CBD.

No legado de Lawrence, há também espaço para momentos mais incómodos. Assim, Kat Hart, a mulher de Lawrence Ringo, disse que ficou perturbada quando um documentário da CNN chamou a atenção para a descoberta de Lawrence como “uma decepção hippie”, devido à falta de CDB nas plantas produzidas por Lawrence e ignorando as descobertas que Lawrence tinha feito sobre a planta da canábis.

Isto não foi suficiente para minar o legado que Lawrence tinha construído. Sem dúvida, um dos mais importantes pioneiros do CDB na história, investigador e activista até ao seu último dia. É graças a Lawrence que estão a ocorrer mudanças no mundo da canábis em muitos países.

Isto foi uma breve revisão da vida de Lawrence Ringo, um do personagens mais importantes da história da canábis do século XX. Para continuar com leituras interessantes recomendamos: História da Canábis Kush e as Melhores Variedades e Novos Canabinóides para a Ciência

Clique para avaliar este post!
(Votações: 0 Promedio: 0)
Avatar for Igor Vieira

Autor: Igor Vieira

Licenciado en Biología Molecular, gestor de contenidos y responsable de tienda en Experiencia Natural. Viviendo la vida, hablando de Cannabis Sativa, padre. Número de colegiado es 20787-X.

Palavras relacionadas: ,
A História de Lawrence Ringo, um dos pais do CBD
A História de Lawrence Ringo, um dos pais do CBD Conhece, neste artigo, Lawrence Ringo, um dos pais e principais pioneiros da investigação e descobrimento das genéticas ricas em CBD.
https://www.semillas-de-marihuana.com
Sementes de canábis

Artigos relacionados

Comentários

2 comentários para "A História de Lawrence Ringo, um dos pais do CBD"

Deixa o teu comentário